:. Artigos Científicos


 
 
 
 

 

 
<< Voltar

Data: 5/4/2005

Distúrbio de compulsão alimentar e obesidade

 

Distúrbio de compulsão alimentar e obesidade


O distúrbio da compulsão alimentar é um serio problema entre as pessoas com obesidade. Dependendo da forma como é definida 30 a 40% dos obesos tem distúrbios relacionados à compulsão alimentar. A compulsão alimentar definida no manual da IV edição, é caracterizada por COMER NUM INTERVALO CURTO DE TEMPO UMA QUANTIDADE DE ALIMENTO MUITO MAIOR DO QUE OUTRA PESSOA PODERIA COMER NO MESMO PERÍODO DE TEMPO, e acompanhada por uma PERDA DO CONTROLE DO QUE E DO QUANTO ESTÁ COMENDO NAQUELE MOMENTO. Essas duas variáveis são necessárias para definir-se adequadamente a compulsão alimentar.
Algumas pessoas relatam apenas perda do controle, sem consumir muitas calorias. Quando os períodos de compulsão alimentar ocorrem mais de duas vezes por semana, acompanhada de perda do controle, e de tristeza ou ansiedade a compulsão alimentar pode ser diagnosticada.
A compulsão alimentar ocasional pode ocorrer em algumas pessoas obesas ou não, porem a psicopatologia e o sofrimento para essas pessoas são similares ao grupo anteriores.
A compulsão alimentar em pessoas obesas, que não usam purgativos, ou outros procedimentos (vômitos), difere um pouco de compulsão alimentar visto nas pessoas com Bulemia. Nos episódios de compulsão há ingestão de uma quantidade menor de calorias uma vez que não há, necessidade de provocar vômitos, e os episódios discretos de compulsão alimentar as vezes são difíceis de se identificar. Muitos obesos descrevem que “Beliscar”, muitas vezes por dia, é um fato, e que perdem o controle durante todo o período sobre esses episódios repetitivos de beliscar.
Os obesos com compulsão alimentar, quando comparados com obesos sem compulsão alimentar, consomem uma quantidade de calorias muito maior, quando se libera a quantidade de alimentos a ambos quando estudados em ensaios clínicos. Isso sugere que a presença de alimentos palatáveis em grande quantidade, atua como desinibidor da ingestão alimentar, apesar das instruções dadas no estudo. As mulheres tendem em geral a consumir alimentos ricos em açúcar com episódios de compulsão alimentar relatam que esses períodos ocorrem mesmo após terem se alimentado normalmente 1 ou 2 horas antes. Outros relatam que seus episódios de compulsão ocorrem nas principais refeições alguns estudos mostram a relação entre a compulsão alimentar e alterações psicológicas relacionadas a Afetividade e a Depressão. Não se sabe o que ocorre primeiro a Compulsão Alimentar ou a Depressão.
Os estudos com dietas restritivas em calorias (800-1200 cal.) em doentes com obesidade, demonstram uma melhora no tratamento da compulsão alimentar, naqueles que tinham episódios de compulsão alimentar, pelo menos na fase da perda de peso. O que ocorre é a recidiva, e o reganho de peso nos obesos com compulsão alimentar mais
facilmente do que nos obesos que não tem compulsão alimentar. Os resultados após as cirurgias de obesidade também mostram resultados variáveis. Alguns autores demonstram
que a perda de peso após a cirurgia é menor nos doentes com compulsão alimentar, dependendo do tipo de cirurgia utilizada. Há concordância que para esses doentes as cirurgias tipo by-pass gastrojejunal (Fobi-Capella) são os mais efetivas.

 

Fonte:

Dr. José Carlos Pareja

 
 
 

Centro de Cirurgia de Obesidade
Campinas-SP
-
Avenida Dr. Heitor Penteado, 522 - Parque Taquaral - 13075-460 - Fone/Fax: 55 19 3212.3330
São Paulo-SP -
Rua Maestro Cardim, 560, Sala 125 - 01323-000 - Fone/Fax: 55 11 3283.5828